Plantas

Alecrim

Com esta entrada vou iniciar o ciclo sobre as plantas e as suas propriedades.

Hoje: o alecrim (não confundir com o rosmaninho).

alecrim

Nome latino: Rosmarinus officinalis

Família: Lamiaceae

Origem: região mediterrânea

Descrição:

É um arbusto que no seu estado selvagem cresce nos países do sul da Europa, na Ásia e na África do Norte. Atinge até 2 m de altura e largura.

As folhas são de  3 – 5 cm, lineares, finas, opostas, mais claras por baixo, sempre verdes.

Flor do alecrim

Flor do alecrim

As flores são azuis, mas existem também variedades com flores brancas (‘Albus’) ou com flores cor de rosa (‘Marjorca Pink’). Atraem abelhas.

Cultivo:

Evitar os solos ricos e muita rega porque o alecrim nessas condições produz menos óleos essenciais e fica mais sensível ao frio.

Usos na cozinha:

Para aromatizar os pratos de peixe, grelhados, molhos e legumes. Infusões.

Secagem

Secagem

Propriedades:

Anti-oxidante, antiviral, antibacteriano (Escherichia coli, salmonela), antifúngico (Candida albicans), insecticida.

Digestivo, desintoxicante, bom para o fígado e a vesícula.

Anticancerígeno (prevenção; o óleo essencial do alecrim trava o desenvolvimento das células cancerígenas).

Anti-inflamatório e analgésico.

Usado também na cosmética (cuidados do cabelo e do coro cabeludo).

Cuidado! Não se aconselha o alecrim durante a gravidez porque pode provocar hemorragias ou até causar o aborto.

E quem aguentou até ao fim do artigo tem direito a um prémio 😉

Infusão desintoxicante do alecrim:

Uma colher pequena de folhas de alecrim para 15 cl (uma chávena de chá) de água a ferver.

Deixar a infusão tapada durante 15 minutos. Beber 1 – 3 chávenas por dia.

 


 

Fontes:

Minkler, Carole. “200 plantes qui vous veulent du bien”. Larousse. Paris 2013

“Le Truffaut. La bible ilustrée du jardin”. Larousse.  Paris 2013

www.rozanski.li

 

You Might Also Like